Rádio Podcast - Programa da semana
Culto ao vivo - Domingos às 20h

« Página inicial

A multidão de anjos ao nosso redor - 4ª parte
Pr. Mário Hort - 27/04/2014

Quando Jesus foi preso, Pedro tomou sua espada e cortou a orelha de um soldado. Jesus disse-lhe: "Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão. Ou pensas que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos? (MT 26:52-53)

Não apenas um único anjo está à disposição daqueles que temem a Deus. Jesus disse que mais de doze legiões de anjos estariam à sua disposição, caso ele os precisasse. Entre os romanos uma legião se compunha de uma tropa de seis mil homens de infantaria ou da cavalaria. Doze legiões seriam 72 mil anjos, que poderiam ter livrado a Jesus dos soldados romanos.

O missionário Sten e Marion Hoffmann chegaram em 1959 à Tanzânia, na África. No princípio sua esposa precisava ficar em casa, para proteger a residência da invasão de animais selvagens e de insetos. Mas, chegou o dia quando ela disse: "Não vim para África para cuidar da casa. Quero ir com meu esposo para pregar o evangelho de Cristo". E foi com ele para o campo missionário.

Quando retornaram para casa, num domingo, após realizar cinco cultos, viram toda sua casa rodeada de grandes formigas. Sten Hoffman chamou estas formigas de “Armee of Ants”, que é como um exército de formigas pretas. A família tinha dificuldades de se aproximar da residência, pois as formigas mordem e ferem as pessoas. Mas, quando finalmente puderam aproximar-se e entrar na casa, ficaram surpresos com o que viram: um cupinzeiro havia entrado na residência dos missionários. O inseto teria destruído todos os pertences da família, mas Deus enviou o “exército de formigas pretas” que matou o cupinzeiro. Quando os missionários chegaram, viram como as formigas estavam carregando todos os cupins mortos para fora, limpando a casa da batalha vencida.

Em outra oportunidade, a esposa do missionário estava sozinha em casa. O pastor estava evangelizando em lugares distantes. A guerra devastava o país onde moravam. A casa dos missionários sempre ficava cuidada por guardas, noite e dia. De repente um guarda bateu na janela, chamou a missionária Marion Hoffman e disse: “Madam, madam, cuidado, soldados armados saltaram o muro, estão procurando entrar na casa. Eles estão fortemente armados. Esconda-se”! Neste instante a missionária tomou sua Bíblia e leu o Salmo 91, dizendo: “Senhor, não viemos para a África para morrer assassinado aqui. Por favor, ajude-nos”. Em voz alta ela clamava a Deus lendo sua bíblia e pedindo ajuda. Depois de alguns instantes, os guardas voltaram a bater na janela, dizendo: “Madam, madam, os soldados fugiram assustados e saltaram o muro”. Até então ninguém sabia por que os soldados de repente fugiram da casa. Mas, o missionário que estava distante teve uma visão que ele nunca esqueceu, e ele pessoalmente me narrou essa experiência, depois de concluir 42 anos de missão na cidade de Livinston, na Zâmbia, África.

Sten Hoffman conta em seus livros, e gravou para a entrevista da HIC, dizendo: “Naquele mesmo instante eu vi minha casa em uma visão. Vi os assaltantes querendo entrar. De repente vi como anjos surgiram diante da porta de minha casa. Os soldados, assustados, fugiram e saltaram o muro para escapar, como afugentados pelos anjos de Deus”.

Pr. Mário Hort

Mostrar todos os artigos